Ultimas Notícias

Seduc apresenta na sexta, 23, documento curricular da BNCC ao Sintet

Seduc apresenta nesta sexta, 23, documento curricular da BNCC ao Sintet

Diretores do Sintet estiveram reunidos na manhã desta sexta-feira, 23, com comissão da Seduc para conhecer o documento curricular final da BNCC Tocantins. O encontro foi marcado após o diretor do Sintet, Nilton Pinheiro, representante dos trabalhadores no Conselho Estadual de Educação (CEE/TO) pedir vistas do documento.

O documento curricular elaborado por relatores das áreas de conhecimento específicos, com participação de representantes da UNDIME, UNCME, CEE e Seduc estava pronto para ser assinado na última reunião do CEE (19/11/2018), quando Nilton Pinheiro pediu vistas por alegar que o documento não teve participação dos professores na elaboração, sendo no ponto de vista do Sintet, que o documento curricular impacta diretamente o professor regente.

O sindicato sustenta que os professores regentes não foram ouvidos, porém a Seduc defende que o documento esteve disponível para consulta pública por período de 40 dias, portanto ficou sujeito a análise.

Diretores do Sintet questionaram sobre a formação dos professores e por consenso diz que não tem como dissociar a BNCC da Reforma do Ensino Médio. Para a entidade, ambas as medidas são retrocessos e impactam negativamente a educação pública e os profissionais da Educação.

O presidente do Sintet, José Roque Santiago mostrou-se preocupado com o impacto da BNCC aos profissionais, fez críticas ao documento e pontuou esclarecimentos entre as orientações pedagógicas apresentadas. "O documento deve constar práticas reais das comunidades. O documento deve constar a prática das diversas realidades que os professores estão inseridos, dar aula nos grandes centros urbanos não é a mesma coisa de dar aula nas periferias", disse Santiago.

O presidente também criticou as ingerências políticas nas escolas, defendidas por alguns parlamentares e apontou essas ingerências como causas de adoecimento dos profissionais da Educação, "Somos uma das categorias mais adoecida do país, é grande o numero de profissionais afastado por licenças de saúde. Precisamos estar atentos a todas estas mazelas", finalizou.