Ultimas Notícias

Pandemia: Sintet cobra resposta da SEDUC sobre convocação dos profissionais da educação



Em defesa da vida, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet) cobra com urgência da Secretaria Estadual da Educação (SEDUC) e do Comitê de Crise para Prevenção do Covid-19 medidas que deverão ser adotadas urgentemente pela gestão para garantir a segurança sanitária dos servidores da Educação nos seus respectivos locais de trabalho. O Sindicato contesta a decisão da SEDUC, mesmo com as aulas suspensas, de ter convocado esses trabalhadores para os seus postos de trabalho sem necessidade aparente e expondo-os ao contágio, uma vez que que o Estado não está oferecendo as condições mínimas de segurança, como equipamentos de proteção individual, desinfecção dos ambientes, etc.

Neste momento de aumento do número de infectados pela COVID-19 no Estado, a medida inclusive vai contra os decretos do próprio governo estadual. Há oito dias o sindicato enviou um ofício para a Secretária Estadual de Educação, Adriana Aguiar alertando sobre a situação e até o momento os trabalhadores da educação estão sem resposta, apreensivos e à mercê em plena pandemia.

O Sintet exige que o governo suspenda as convocações, mantenha o trabalho remoto e somente quando possível discuta com a categoria a reorganização do calendário escolar.

Para o Sintet, a exposição desnecessária dos profissionais da educação pode levar a contaminação. “Não é tempo de flexibilizar o distanciamento social e expor os profissionais da educação ao risco de serem contaminados. O Governo do Tocantins poderá ser responsabilizado pelas vidas que podem vir a ser perdidas em função da pandemia”.

De acordo com o decreto do Governo Federal (nº 10.329, de 28/04/2020), a educação não configura serviço essencial durante a pandemia da COVID -19.