Ultimas Notícias

Após pressão do Sintet, prefeita recua e suspende aulas presenciais na rede municipal em Palmas


O Sindicato requer agora que Cinthia Ribeiro garanta através de um decreto a isonomia entre as redes municipal e estadual de ensino quanto ao retorno das aulas

O Sindicato tem sido incisivo na luta pela suspensão das aulas presenciais até que a categoria esteja vacinada contra a COVID-19. Desde que começou a imunização na capital que o Sintet requer que os profissionais da educação sejam incluídos no grupo prioritário de vacinação. A luta contra o retorno das aulas presenciais tem sido incessante. O Sintet Regional de Palmas inclusive havia chamado uma assembleia para este sábado (29), afim de discutir o não retorno das aulas presenciais previstas para serem retomadas na segunda (31). Uma liminar chegou a ser protocolada na justiça pedindo a suspensão do retorno às aulas.

Nesta sexta-feira (28), o Sintet protocolou ofício à Prefeita de Palmas, solicitando que o Executivo Municipal garanta a isonomia entre as redes municipal e estadual de ensino quanto ao retorno das aulas presenciais em Palmas, uma vez que a Prefeita suspendeu as aulas na rede municipal, mas na rede estadual, as aulas estão previstas para serem retomadas nos próximos dias. A solicitação do Sintet é para que a prefeita crie um decreto que resguarde essa isonomia.

O Sindicato cumprimenta a prefeita pela acertada decisão em suspender o retorno das aulas presenciais na rede municipal. “Acreditamos que a Prefeita optou pelo bom senso em zelar pela vida das pessoas evitando o aumento da contaminação pelo coronavírus”, disse o Secretário de Políticas Educacionais da Regional de Palmas, Fábio Lopes.

O Sintet reitera que as aulas presenciais só devem ser retomadas após a vacinação dos profissionais da educação. Hoje o Ministério da Saúde anunciou que a categoria deve ser vacinada durante o mês de junho, o que possibilita um retorno com mais segurança no segundo semestre. “Essencial é a vida, queremos o retorno das aulas presenciais somente após a vacinação”, disse o presidente do Sintet, José Roque Santiago.