Governador Wanderlei Barbosa anuncia pagamento dos passivos das progressões 2017

08/06/2022 08/06/2022 17:27 4932 visualizações

 

 

Na tarde desta quarta-feira (08), o Governador do Tocantins anunciou o pagamento dos passivos das progressões 2017 para os servidores da educação. São mais de 46 milhões (R$ 46.660.385,70) que serão divididos em seis parcelas, sendo que a primeira será paga na folha de junho. No anuncio, o governo disse ainda que pretende pagar os passivos das progressões de 2018 até o fim do ano de 2022. O anuncio foi feito durante reunião no Palácio Araguaia. 

No total, 3.542 professores serão contemplados com o pagamento dos passivos de 2017.

O secretário Estadual de Educação, Fábio Vaz falou que “a meta prioritária deste governo e da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) é valorizar o servidor da educação, nós temos em torno de cem milhões para pagar em direitos, e depois de pagar esses direitos, num futuro próximo, fazer esse reconhecimento que a categoria tanto espera”, disse o secretário ao falar da necessidade de reestruturar o PCCR do magistério. Uma reivindicação que o Sintet sempre tem pautado o governo, e que o secretário como servidor de carreira reconhece essa necessidade. “Hoje nós fazemos justiça com a educação”, disse ele.

“O pagamento dos passivos contempla a categoria, contempla parte das reivindicações do Sindicato, que há muito tem cobrado dos governos anteriores o pagamento das progressões atrasadas e dos passivos, e o reconhecimento tem que ser feito, o governo está pagando conforme vem anunciando, segundo as cobranças pautadas pelo Sintet. No entanto, nós esperávamos que o governo anunciasse também a realização do concurso público, que é uma demanda urgente e necessária”, disse o secretário-geral do Sintet, Carlos de Lima Furtado, que esteve presente na reunião.

Na ocasião, o governo assinou ordem de pagamentos aos prefeitos de treze municípios tocantinenses para reforma, construção de quadras poliesportivas entre outros.

O governador Wanderlei Barbosa comentou sobre a PEC do governo federal que retira o ICMS dos combustíveis, disse que é favor, e que não vai fazer lobby contra o governo, já que a medida é temporária e que segundo ele, não vai impactar o estado, não vai comprometer os recursos da educação no estado. Wanderlei disse ainda que já se reuniu com sua equipe econômica e até com os deputados, e todos estão de acordo.