SINTET SE POSICIONA CONTRA PRESENÇA DE MILITARES NAS ESCOLAS PÚBLICAS

17/11/2023 17/11/2023 17:12 410 visualizações

 

 

 

A militarização das escolas públicas em todo o país tem sido um tema de debate e controvérsia. O governo federal inclusive revogou o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) em julho de 2023, mas o governo estadual preferiu manter o modelo no Tocantins. Enquanto alguns argumentam que essa abordagem pode trazer disciplina e segurança para o ambiente escolar, outros têm preocupações legítimas sobre seus impactos a longo prazo na sociedade.

Para o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), lugar de polícia não é na escola. A presença de militares em ambientes escolares pode levantar preocupações sobre o respeito aos direitos humanos e à liberdade de expressão, principalmente por haver uma tendência a restringir a livre manifestação de ideias e a promover um ambiente mais controlado, o que é contraproducente para o desenvolvimento crítico dos alunos.

“Lugar de PM não é na escola, e sim cuidando da segurança pública”, disse o presidente do Sintet, José Roque.

Para o Sindicato, as escolas militarizadas afetam desproporcionalmente comunidades já marginalizadas e vulneráveis, já que as abordagens rígidas podem não levar em consideração os contextos específicos dessas comunidades, uma vez que os militares podem não ter a formação pedagógica adequada para lidar com as complexidades do ambiente escolar. O ensino exige mais do que apenas manter a ordem, requerendo a capacidade de se conectar emocionalmente com os alunos e adaptar as estratégias de ensino às suas necessidades individuais.

 

Como se pode ver, não tem militarização nas escolas particulares, mas o modelo de gestão é imposto para as escolas públicas, é preciso fazer este debate, mesmo porque não há evidências sólidas que comprovem que a militarização das escolas resulta em melhorias na qualidade da educação ou no desempenho da aprendizagem dos alunos, para o Sintet, outras abordagens educacionais podem ser mais eficazes.